Ajuda

O Livro

Os oficiais e governadores de Salomão

1-2 Esta é a lista dos homens que colaboravam com o rei na administração dos assuntos de Israel:Azarias (filho de Zadoque) era o sumo-sacerdote;
3 Eliorefe e Aiás (filhos de Sisa) exerciam as funções de secretários; Jeosafá (filho de Ailude) era cronista;
4 Benaia (filho de Jeoiada) era o comandante do exército; Zadoque e Abiatar eram sacerdotes;
5 Azarias (filho de Natã) tinha as funções de administrador-geral; Zabude (filho de Natã) era sacerdote e o seu conselheiro especial;
6 Aisar, chefiava a casa real; Adonirão (filho de Abda) superintendia sobre os trabalhos obrigatórios.
7-8 Havia ainda na corte de Salomão doze administradores - um por cada tribo - responsáveis pela tributação daquilo que a população devia fornecer para a casa real. Cada um deles administrava esse aprovisionamento durante um mês do ano. São estes os seus nomes.Bene-Hur, cuja área de tributação era a região das colinas de Efraim;
9 Bene-Dequer, que tinha a área de Macaz, de Saalabim, de Bete-Semes, "de Elom e de Bete-Hanã;
10 Bene-Hesede, com a área de Arubote, incluindo Socó e toda a terra de Hefer;
11 Bene-Abinadabe (que casou com a filha de Salomão, a princesa Tafate), responsável pela área das serranias de Dor;
12 Baaná (filho de Ailude), responsável por Taanaque, Megido, toda a Bete-Seã perto de Zaretã, abaixo de Jezreel e todo o território desde Bete-Seã até Abel-Meolá e até Jocmeão;
13 Bene-Geber, cuja área era Ramote-Gileade, incluindo as povoações de Jair (o filho de Manassés) que estão em Gileade; mais a região de Argobe em Basã, incluindo também sessenta cidades muradas e com portões de bronze;
14 Ainadabe (filho de Iddo), cuja área era Maanaim;
15 Aimaaz (que casou com a princesa Basemate, outra filha de Salomão), que tinha a área de Naftali;
16 Baana (filho de Husai), cujas áreas eram Aser e Bealote;
17 Jeosafá (filho de Paruá), que tinha a área de Issacar;
18 Simei (filho de Ela), com a área de Benjamim;
19 Geber (filho de Uri), cuja área era Gileade, incluindo os territórios do rei Siom dos amorreus e do rei Ogue de Basã.Havia depois um administrador que supervisava todo este trabalho.
20-21 Israel e Judá, nesse tempo, eram uma nação rica, próspera, populosa. O rei Salomão governava um extenso território que ia desde o rio Eufrates até à terra dos filisteus, descendo até à fronteira com o Egipto. Os povos destas áreas, que tinham sido conquistados, pagavam impostos a Salomão, e estiveram-lhe sujeitos toda a sua vida.
22-23 A provisão alimentar para o palácio real, diariamente, era de 6.825 litros de farinha e de 13.650 litros de cereais, dez vacas engordadas, e outras trazidas dos pastos, cem ovelhas e, de vez em quando, veados, gazelas, cabras monteses e gordas aves de capoeira.
24 O seu domínio alargava-se a todos os reinos do oriente do rio Eufrates, desde Tifsa até Gaza. E havia paz em toda a terra.
25 Durante o tempo do reinado de Salomão, Israel e Judá viveram em paz e segurança; cada família possuia a sua própria casa com o seu jardim.
26 Salomão possuía ainda quarenta mil cavalos, para os seus carros de combate e doze mil cavaleiros.
27 Em cada mês, como se viu, os administradores forneciam a casa real de alimento;
28 além de cevada e palha para as estrebarias reais.

A sabedoria de Salomão

29 Deus deu a Salomão grande sabedoria e inteligência, assim como muito conhecimento. De facto, a sua sabedoria excedia a de qualquer sábio do Oriente, incluindo os do Egipto. Era mais sábio do que Etã o ezraíta, e do que Hemã, Calcol e Darda, os filhos de Maol; a sua fama estendeu-se a todas as nações vizinhas. Foi o autor de 3.000 provérbios e escreveu 1.005 cânticos. Interessou-se muito pela natureza, pela vida dos animais quadrúpedes, das aves, dos répteis, dos peixes, assim como das plantas - desde os grandes cedros do Líbano até ao mais insignificante hissope que cresce nas fendas do muros. Reis de muitas terras mandaram-lhe embaixadores pedindo-lhe conselhos.
© 2018 ERF Medien