Website too slow? Load as basic HTML.

Acts 20

O Livro

1-2 Acabado tudo, Paulo reuniu os discípulos, dirigiu-lhes uma mensagem de encorajamento, despediu-se e partiu para a Macedónia. Viajou através dessa região, encorajando os crentes em todas as vilas e cidades. Depois veio à Acaia, 3 ficando aí durante três meses, e preparava-se para embarcar para a Síria quando descobriu que os judeus conspiravam contra a sua vida. Resolveu então ir primeiro ao norte, à Macedónia. 4 Acompanharam-no: Sópater (filho de Pirro) da Bereia; Aristarco e Segundo, de Tessalónica; Gaio, de Derbe; Timóteo; Tíquico e Trófimo, que eram da província da Ásia.  5 Estes últimos, tendo partido à frente, esperaram-nos em Troas. 6 Mal terminaram as cerimónias da Páscoa, embarcámos em Filipos, e passados cinco dias chegávamos a Troas, na província da Ásia, onde ficámos uma semana. 7 No domingo, reunimo-nos para celebrar a Santa Ceia. Paulo pregou nesse encontro, e, porque ia partir no dia seguinte, alongou o seu discurso até à meia-noite." 8-9 A sala no andar onde nos reunimos estava iluminada com muitas lâmpadas a óleo; e, como Paulo prolongasse muito o seu sermão, um jovem chamado Êutico, que estava sentado no parapeito duma janela, adormeceu e caiu da altura de três andares, tendo morrido 10-12 Paulo desceu e, levantando-o nos braços, disse: "Não se preocupem; ele está vivo!" Voltaram todos para cima e tomaram juntos uma refeição. Paulo ainda lhes falou longamente, e era já madrugada quando partiu. 13-15 Paulo foi por terra até Asson, e nós seguimos à frente por mar. Ali, reuniu-se connosco e embarcámos juntos para Mitilene. No dia seguinte passámos junto a Quio, no outro aproámos a Samos; um dia mais tarde chegámos a Mileto. 16 Paulo resolvera não parar em Éfeso desta vez, para evitar passar tempo na província da Ásia, visto ter pressa em chegar a Jerusalém, se possível para celebrar o Pentecostes. 17 Por isso, quando desembarcámos em Mileto, mandou recado aos anciãos da igreja de Éfeso, pedindo-lhes para virem ter com ele. 18 Quando chegaram, disse-lhes: "Sabem que desde que desembarquei na província da Ásia até agora 19 tenho realizado humildemente o trabalho do Senhor, no meio de lágrimas e grandes perigos, devido às conspirações dos judeus contra a minha vida 20 No entanto nunca fugi a dizer-vos tudo o que pudesse ajudar-vos, quer publicamente quer em vossas casas 21 A minha mensagem para judeus e gentios tem sido a mesma: que é preciso deixarem o pecado, converterem-se a Deus e crerem no nosso Senhor Jesus Cristo. 22-24 Agora sigo para Jerusalém, levado pelo Espírito Santo, sem saber o que me espera, a não ser que o Espírito Santo me tem dito, de cidade em cidade, que me esperam a cadeia e o sofrimento. Mas a vida nada me vale se não completar a carreira e cumprir a tarefa que me foi confiada pelo Senhor Jesus, ou seja, anunciar o evangelho da graça de Deus. 25-27 Sei bem que estou convosco pela última vez. Preguei-vos o reino de Deus, mas agora nenhum de vocês me tornará a ver mais. Por isso vos declaro solenemente que não posso ser culpado pela perdição eterna seja de quem for, pois nunca deixei de vos anunciar integralmente o plano de salvação da parte de Deus. 28 Agora, olhem por vocês próprios e pelo rebanho de Deus. O Espírito Santo vos constituiu pastores para alimentar a sua igreja, que ele comprou com o seu próprio sangue. 29-30 Sei muito bem que, quando vos deixar, hão-de aparecer no vosso meio falsos mestres que como lobos ferozes não pouparão o rebanho. Há mesmo alguns de vocês que torcerão a verdade só para arranjar adeptos. 31 Cuidado e vigiem! Lembrem-se dos três anos que convosco passei, do meu constante cuidado sobre vocês, noite e dia, aconselhando-vos e avisando-vos, com lágrimas até. 32 E agora confio-vos a Deus, ao seu cuidado, e à palavra da sua graça. Ele pode construir a vossa fé e garantir-vos a herança que vos reserva, a vocês e a todos os que são santificados. 33-35 Nunca cobicei nem o dinheiro, nem o vestuário, nem as riquezas de ninguém. Sabem que estas minhas mãos trabalharam para me sustentar e, até para atender às necessidades dos que estavam comigo. Quis mostrar-vos sempre que, trabalhando assim, devemos auxiliar os fracos e lembrarmo-nos das palavras do Senhor Jesus: 'Coisa mais abençoada é dar do que receber'." 36 Quando acabou de falar, ajoelhou-se e orou com todos os crentes. Estes choravam, abraçando e beijando Paulo enquanto se despediam dele, entristecendo-se, sobretudo, por ter dito que nunca mais os veria. Seguidamente, acompanharam-no até ao navio.