Ajuda

O Livro

O Senhor promete abençoar Jerusalém

1 Outra mensagem do Senhor:
2-3 O Senhor dos exércitos celestiais diz assim: Estou muito indignado - sim, estou mesmo irado - por causa do que todos os inimigos de Jerusalém lhe fizeram. Agora voltar-me-ei para a minha terra e eu próprio ficarei a viver ali em Jerusalém, a qual será chamada a Cidade Fiel, a montanha do Senhor dos exércitos celestiais, o Monte Santo.
4-5 O Senhor dos exércitos celestiais declara que Jerusalém terá paz, prosperidade e segurança social de forma que se verão outra vez nas ruas pessoas idosas, apoiando-se nas suas bengalas, e nas praças públicas juventude expandindo alegria.
6 Diz o Senhor: Pode parecer inacreditável aos olhos de vocês - um resto do povo pequeno e desencorajado - mas para mim não é nada demais!
7 Com toda a certeza que resgatarei o meu povo das extremidades do Oriente às do Ocidente, seja para onde for que tenham sido espalhados.
8 Hei-de trazê-los de novo para viverem em Jerusalém; serão o meu povo e eu serei o seu Deus, guiando-os com justiça e com verdade!
9 O Senhor dos exércitos celestiais diz: Tenham coragem! Vocês que ouvem agora as palavras dos profetas, que vos falaram quando se puseram os alicerces deste templo, a fim de que fosse edificado.
10 Antes do empreendimento começar, não havia postos de trabalho, não havia salários, não havia segurança; se tivessem de deixar a cidade, ninguém podia ter a certeza de regressar, porque era cada um contra o seu semelhante.
11-12 Agora, já não tratarei mais com o resto deste povo como no passado, diz o Senhor dos exércitos celestiais. Semeio paz no vosso meio. As vinhas darão o seu fruto. O chão será fértil, e a chuva, abundante. Todas estas bênçãos darei ao povo deixado na terra.
13 Assim como eram uma maldição entre as nações, o povo de Judá e o povo de Israel, assim vos salvarei e serão uma bênção. Não tenham receio. Trabalhem com coragem!
14-15 Fiz o que prometera quando os vossos pais me enfureceram, e garanti-lhes que seriam castigados; por isso agora também não alterarei a minha intenção de vos abençoar.
16 Da vossa parte, é isto que devem fazer: falar verdade, e serem justos e honestos nos vossos tribunais.
17 Não conspirem para fazer o mal; não jurem falsamente! Todas essas coisas repudio severamente! - diz o Senhor.
18 Aqui está outra mensagem que veio até mim da parte do Senhor dos exércitos celestiais:
19 Esses jejuns tradicionais e tempos de contrição colectiva, que realizam em Junho, Agosto, Outubro e Janeiro, terminaram. Agora serão antes celebrações festivas, por isso amem a verdade e a paz!
20 Povos de todo o mundo virão em peregrinação a Jerusalém, originários de muitas cidades estrangeiras, para assistir a estas celebrações.
21 As pessoas escreverão umas às outras dizendo: "Vamos todos a Jerusalém pedir ao Senhor a sua bênção sobre nós e que seja misericordioso para connosco. Venham todos já!"
22 Sim, muita gente, mesmo as nações mais fortes, se chegará ao Senhor dos exércitos celestiais em Jerusalém para lhe rogar a sua bênção e ajuda.
23 Nesses tempos, dez estrangeiros agarrar-se-ão às abas do casaco de um judeu implorando-lhe: "Queremos partilhar o vosso destino, porque sabemos bem que Deus está convosco."
© 2017 ERF Medien