Ajuda

O Livro

Os religiosos pedem um sinal

1 Um dia, os fariseus e os saduceus resolveram pôr Jesus à prova e pediram-lhe que fizesse qualquer grande sinal nos céus.
2-4 Mas ele respondeu: "Vocês sabem ler os sinais do tempo, por exemplo, que o céu vermelho à tardinha significa bom tempo para a manhã seguinte, e céu vermelho pela manhã é mau tempo para o dia inteiro, e, contudo, não sabem ler os sinais dos tempos! Esta nação má e sem fé pede um sinal nos céus, mas a única prova que terá será a que foi dada a Jonas." E deixou-os.

O fermento dos fariseus e saduceus

5 Chegados ao outro lado do lago, os discípulos notaram que se tinham esquecido de levar comida.
6 "Cuidado", avisou Jesus. "Acautelem-se do fermento dos fariseus e dos saduceus."
7 E julgaram que ele dissesse isto por se terem esquecido de levar pão.
8-11 Jesus, porém, lendo nos seus pensamentos, disse-lhes: "Homens de pouca fé! Por que se preocupam tanto por não terem comida? Nunca chegaram a compreender? Não se lembram já dos cinco mil que alimentei com cinco pães e dos cestos cheios que sobraram? Ou dos quatro mil que sustentei e do que ainda restou? Como puderam pensar que eu me estivesse a referir à comida? Uma vez mais vos digo: Acautelem-se do fermento dos fariseus e dos saduceus."
12 Só então perceberam que, ao falarem fermento, se referia às doutrinas dos fariseus e dos saduceus.

A confissão de Pedro acerca de Jesus

13 Quando chegou a Cesareia de Filipe, Jesus perguntou aos discípulos: "Quem diz o povo que eu sou?"
14 "Bem, alguns dizem que és João Baptista, outros que és Elias, outros ainda que és Jeremias ou um dos outros antigos profetas."
15 Então perguntou-lhes: "E vocês, quem pensam que eu sou?"
16 Simão Pedro respondeu: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo."
17-19 "Deus abençoou-te, Simão, filho de Jonas, porque quem te revelou isso pessoalmente foi o meu Pai do céu; não é pensamento humano. Tu és Pedro; e sobre essa rocha edificarei a minha igreja; nem as forças todas do inferno nada poderão fazer contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; todas as portas que fechares na Terra serão fechadas no céu; e todas as que abrires na Terra serão abertas no céu!"

Jesus prediz a sua morte

20-21 Então avisou os discípulos de que ainda não deveriam contar a outros que ele era o Messias. A partir daí, começou a falar claramente aos discípulos na sua futura ida a Jerusalém e no que ali lhe ia acontecer: que sofreria às mãos dos dirigentes judaicos, que seria morto e que três dias depois ressuscitaria.
22 Pedro chamou-o à parte e repreendeu-o. "Deus o não permita, Senhor; isso não te há-de acontecer!"
23 Mas Jesus, voltando-se para ele, respondeu: "Afasta-te, Satanás! És uma armadilha para mim. Olhas as coisas do ponto de vista humano e não do ponto de vista de Deus."
24-26 E disse aos discípulos: "Quem quiser ser meu seguidor tem de se esquecer de si próprio, tomar a sua cruz e seguir-me. Porque todo aquele que guarda a sua vida para si mesmo perdê-la-á; e todo aquele que perder a vida por mim achá-la-á de novo. Que lucra alguém em ganhar o mundo inteiro se perder a vida? Que há que valha mais do que a sua vida?"
27 Porque eu, o Filho do Homem, virei com os meus anjos na glória de meu Pai e julgarei cada qual conforme as suas obras. E alguns de vocês que aqui estão agora certamente viverão para me ver chegar no meu reino."
© 2017 ERF Medien