Ajuda

O Livro

A carta de Tatenai a Dario

1-2 Mas houve profetas em Jerusalém e em Judá nesse tempo - Ageu e Zacarias (filho de Ido) - que trouxeram mensagens da parte do Deus de Israel, dirigidas a Zorobabel (filho de Sealtiel) e a Jesua (filho de Josadaque), encorajando-os a retomar a obra de reconstrução. Foi o que fizeram, e os profetas davam-lhes apoio.
3 Contudo Tatenai, o governador das terras a ocidente do Eufrates, mais Setar-Bozenai, com os seus associados, vieram em breve até Jerusalém e perguntaram: "Quem vos deu licença para reconstruir este templo e para acabar estas muralhas?"
4 Pediram ainda uma lista de todos os homens que trabalhavam nas obras do templo.
5 Mas como o Senhor estava a velar sobre toda aquela situação, os nossos inimigos não tiveram força suficiente para nos impedir de continuar, enquanto esta questão não chegasse ao conhecimento de Dario, e este tomasse uma decisão.
6 Eis a carta que o governador Tatenai, e Setar-Bozenai, mais os outros funcionários, enviaram ao rei Dario:
7 "Para o rei Dario: Muita paz para ti! Queremos informar-te que fomos até às obras de reconstrução do templo do grande Deus de Judá. Está sendo feita com grandes pedras e muita madeira; também as muralhas se vão levantando. Toda a obra avança com decisão e eficácia. Perguntámos aos seus responsáveis quem lhes tinha dado licença para aquilo; tomámos igualmente nota dos seus nomes, para os dar a conhecer a Dario. Responderam-nos: 'Somos servos do Deus dos céus e da Terra; estamos a reconstruir o templo que aqui existia há séculos atrás e que foi levantado por um grande rei de Israel. Mais tarde os nossos antepassados irritaram o Deus dos céus, que os abandonou e deixou que o rei Nabucodonozor destruísse este templo e exilasse a população para Babilónia.' Insistiram também em que o rei Ciro, de Babilónia, no primeiro ano do seu reinado, publicara um decreto em como o templo deveria ser reconstruído; garantem ainda que o rei Ciro devolveu os recipientes em ouro e em prata que Nabucodonozor levara do templo de Jerusalém para os pôr no templo de Babilónia. Esses vasos foram entregues à guarda de um homem chamado Sesbazar, a quem o rei Ciro nomeou governador de Judá. Ele tinha o encargo de trazer de volta esses objectos preciosos até Jerusalém, e de promover a reconstrução do templo de Deus que antes lá existia. Foi assim que Sesbazar deu início aos trabalhos dos alicerces do templo em Jerusalém; o povo tem-se dedicado a essa obra desde então, ainda que não esteja acabada. Rogamos-te pois que mandes inquirir nos arquivos de Babilónia se é verdade que o rei Ciro emitiu tal decreto. E que depois possamos saber qual a tua decisão quanto a este assunto."
© 2017 ERF Medien