Ajuda

O Livro

1 "Irmãos e pais, escutem-me no que vou dizer-vos em minha defesa."
2 Quando o ouviram falar em aramaico, o silêncio tornou-se ainda maior.
3 "Sou judeu, nascido em Tarso, cidade da Cilícia, mas educado aqui em Jerusalém sob o ensino de Gamaliel, a cujos pés aprendi a seguir com muito cuidado as nossas leis e costumes. O meu anseio era honrar Deus em tudo o que fazia, tal como vocês procuram fazer hoje.
4-5 Assim, persegui os seguidores do Caminho até à morte, prendendo e entregando à prisão tanto homens como mulheres. O supremo sacerdote pode confirmá-lo, ou até qualquer membro do conselho, pois pedi-lhes que passassem cartas para os dirigentes judaicos em Damasco com instruções para me deixarem trazer acorrentado para Jerusalém qualquer cristão que encontrasse, para ser castigado.
6-7 Ia eu pela estrada fora, já perto de Damasco, quando, subitamente, cerca do meio-dia, brilhou em torno de mim uma luz muito forte vinda do céu. Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia: 'Saulo, Saulo, porque me persegues?'
8 'Quem és tu, Senhor?', perguntei.'Sou Jesus de Nazaré, aquele a quem persegues.'
9 Os homens que estavam comigo viram a luz mas não compreenderam as palavras.
10 E eu disse: 'Que devo eu fazer, Senhor?'E o Senhor disse-me: 'Levanta-te, entra em Damasco e aí será dito o que deves fazer.'
11-13 A luz era tão forte que deixei de ver e tive de ser conduzido para Damasco pelos meus companheiros. Aí, Ananias, homem obediente a Deus, que observava escrupulosamente a lei e que gozava da consideração de todos os judeus de Damasco, veio ver-me e, chegando-se junto de mim, disse: 'Irmão Paulo, recupera a vista!' E naquele momento consegui vê-lo.
14  Então disse-me: 'O Deus de nossos pais escolheu-te para conheceres a sua vontade, veres o Justo e ouvi-lo falar.
15 Deverás levar a sua mensagem a toda a parte, contando o que viste e ouviste.
16 Agora, não te demores. Levanta-te e vai baptizar-te, e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor.'
17-18 Um dia depois do meu regresso a Jerusalém, quando orava no templo, tive uma visão em que Jesus me disse: 'Apressa-te, sai de Jerusalém, pois não te acreditarão quando tu lhes falares acerca de mim.'
19 'Senhor', respondi, 'eles sabem, sem dúvida, que meti na prisão e espanquei os membros de todas as sinagogas que criam em ti.!
20 E quando a tua testemunha, Estêvão, foi morta, lá estava eu manifestando a minha aprovação ao tomar conta da roupa dos que o apedrejavam.'
21 Mas o Senhor disse-me: 'Sai de Jerusalém, pois vou mandar-te para longe, para os gentios!'"

Paulo, o cidadão romano

22-23 A multidão escutou Paulo até ele dizer aquela palavra; mas, ao ouvi-la, todos gritaram a uma só voz: "Fora com esse homem! Matem-no! Não é digno de viver!", clamando e lançando ao ar as túnicas, de mistura com terra .
24-25 Então o comandante levou-o para dentro e ordenou que fosse açoitado para que confessasse o crime, pois pretendia descobrir por que motivo a multidão se enfurecera daquela maneira. Quando estavam a amarrar Paulo para o açoitar, este disse a um oficial que se encontrava perto: "Será legal chicotear um cidadão romano que nem sequer foi julgado?"
26 O oficial falou com o comandante e avisou-o: "Veja lá o que vai fazer! Trata-se de um cidadão romano!"
27 O comandante foi ter com Paulo e perguntou-lhe: "Diz-me, és cidadão romano?""Sou, sim", respondeu Paulo.
28 "Também eu", murmurou o comandante, "e esse direito custou-me muito dinheiro!""Mas eu sou cidadão romano por nascimento!"
29 Os soldados que se preparavam para interrogar Paulo foram-se logo embora quando souberam que era um cidadão romano, e o próprio comandante ficou assustado por ter mandado que o amarassem e açoitassem.

Paulo é levado ao conselho judaico

30 No dia seguinte, tirou-lhe as cadeias, mandou convocar os principais dos sacerdotes para uma sessão com o conselho judaico, e trouxe Paulo para, na presença deles, descobrir a causa daqueles tumultos.
© 2018 ERF Medien