Schließen
BibleServer is a donation based project by ERF Medien. 25 € will help us to secure next years funding.
Ajuda

O Livro

A revolta de Coré

1-2 Um dia Coré (filho de Izar, neto de Coate e descendente de Levi) foi ter com Datã e Abirão (filhos de Eliabe) e ainda com Om (filho de Pelete), estes três últimos da tribo de Rúben, e conspiraram juntos, incitando uma certa quantidade de gente à revolta contra Moisés. Estiveram envolvidos nisso duzentos e cinquenta homens, com responsabilidades na chefia do povo.
3 Foram ter com Moisés e com Arão e disseram-lhes: "Já chega da vossa presunção. Vocês não são melhores do que qualquer outro. Cada um em Israel foi escolhido pelo Senhor, e ele está com cada um de nós. Que direito têm vocês de se porem em evidência, clamando que devemos obedecer-vos, e fazer tudo como se fossem maiores do que qualquer um de entre todo este povo do Senhor?"
4 Quando Moisés ouviu isto caiu com o rosto em terra.
5 E disse a Coré e aos que estavam com ele: "Pela manhã o Senhor vos mostrará quem é seu, quem é santo e quem é que ele escolheu para se aproximar dele.
6-7 Façam isto: Tu, Coré, e os que estão contigo, tomem incensários; acendam-nos e deitem-lhes incenso perante o Senhor amanhã de manhã; veremos quem o Senhor escolheu. E que isso abata o vosso orgulho, filhos de Levi!"
8 Moisés disse ainda mais isto a Coré:
9-11 "Parece-vos então pouca coisa que o Deus de Israel vos tenha escolhido de entre todo o povo de Israel para estarem junto dele, trabalhando no tabernáculo, apresentando-se perante o povo para os servir no culto? Será que de nada vale que vos tenha dado esta tarefa só a vocês, os levitas? E agora pretendem também o sacerdócio? Porque é isto afinal que vocês realmente procuram! É por isso que se revoltam contra Jeová. Que vos fez Arão para não estarem satisfeitos com ele?"
12 Moisés mandou ainda chamar Datã e Abirão, os filhos de Eliabe, mas eles recusaram vir.
13-14 "E tu também achas pouco", retorquiram com azedume, "que nos tenhas tirado duma terra tão boa como é o Egipto para nos matares aqui neste deserto terrível, e que queiras agora tornares-te nosso rei? E para além disso nunca chegaste a levar-nos para a tal bela terra que nos prometeras, com campos e vinhas para a gente. Quem queres tu enganar? Não, não vamos ter contigo."
15 Moisés estava extremamente indignado e disse ao Senhor: "Não aceites os seus sacrifícios! Tu sabes que nunca tirei um só jumento que fosse deles, que nunca os prejudiquei."
16-17 E disse a Coré: "Vem aqui amanhã à presença do Senhor com os que te acompanham. Arão estará também aqui. Não se esqueçam de trazer os vossos incensários, mais o incenso - portanto um incensário para cada um, ou seja, duzentos e cinquenta ao todo. Arão trará também o seu."
18 Eles assim fizeram. Vieram com os incensários, acenderam-nos, puseram-lhes o incenso, e colocaram-se à entrada do tabernáculo, com Moisés e com Arão.
19-20 Entretanto, Coré já tinha sublevado toda a nação contra Moisés e Arão, pelo que toda a gente se juntou para ver. Então a glória de Jeová apareceu a todo o povo, e Jeová disse a Moisés e a Arão:
21 "Afasta-te dessa multidão, para que possa destruí-los num instante."
22 Mas Moisés e Arão cairam com os seus rostos em terra perante o Senhor: "Ó Deus, Deus de toda a humanidade", rogaram, "deverá a tua cólera cair sobre eles todos, quando afinal o pecado foi de um só?"
23-24 "Então diz ao povo", respondeu-lhe o Senhor, "que se afaste das tendas de Coré, de Datã e de Abirão."
25 Moisés correu para as tendas deles, seguido de perto pelos anciãos de Israel.
26 "Depressa", gritou para o povo, "afastam-se das tendas destes homens malvados, e nem sequer toquem seja no que for que lhes pertença, para que não se identifiquem com os seus pecados e sejam destruídos com eles."
27 O povo afastou-se das tendas dos três homens indicados. Datã e Abirão sairam das suas tendas e ficaram de pé, à entrada, juntamente com as mulheres, os filhos e as criancinhas.
28-29 Moisés disse: "Agora hão-de ver que foi Jeová quem me mandou fazer tudo o que fiz; que não foi por minha própria vontade. Se estas pessoas morrerem de morte natural, ou por algum mero acidente ou por doença, então Jeová não me enviou.
30 Mas se o Senhor fizer um milagre, e se o chão se abrir e os tragar, a eles assim como a tudo o que lhes pertence, e descerem vivos para o Seol , então ficarão a saber dessa forma que estes homens rejeitaram o Senhor."
31-34 Mal tinha acabado de dizer isto quando o chão se abriu de repente debaixo deles, e uma grande fenda se formou que os tragou juntamente com as tendas, as suas famílias e os seus amigos que estavam com eles, além de todas as coisas que eram deles. Foram sepultados vivos, e a terra se fechou de novo sobre eles. Morreram portanto dessa forma. Todo o povo de Israel aliás fugira com os gritos deles, temendo serem também tragados pela terra.
35 Veio a seguir fogo do céu, da parte de Jeová, e queimou os duzentos e cinquenta homens que ofereciam incenso.
36-38 O Senhor disse a Moisés: "Diz a Eleazar, filho de Arão, o sacerdote, que tire esses incensários do fogo; porque são santos, foram dedicados ao Senhor. Deverá também espalhar o incenso que arde nos incensários daqueles homens que pecaram, e que por isso perderam as vidas. Com os incensários façam chapas que estendam sobre o altar, visto que os incensários são santos por terem sido usados perante o Senhor. Essas chapas no altar servirão de lembrança ao povo de Israel."
39-40 Eleazar o sacerdote pegou então nos 250 incensários de bronze e fez deles folhas de metal para cobrir o altar, para que o povo de Israel não se esquecesse mais de que ninguém está autorizado - ninguém que não seja descendente de Arão - a vir perante o Senhor queimar incenso, sob o risco de lhe acontecer a mesma coisa que a Coré e aos seus acólitos. Assim foram cumpridas as direcções dadas a Moisés pelo Senhor.
41-42 Mas logo na manhã seguinte todo o povo começou de novo a murmurar contra Moisés e Arão dizendo: "Mataram o povo do Senhor." Em breve começou a formar-se um grande levantamento. A certa altura dirigiram-se contra o tabernáculo e logo apareceu a nuvem; e toda a gente viu a tremenda glória do Senhor.
43-44 Moisés e Arão chegaram-se, puseram-se à entrada do tabernáculo, e o Senhor disse a Moisés:
45 "Afasta-te desse povo, para que possa destruí-los já." Mas ambos caíram com os rostos em terra na frente do Senhor.
46 E Moisés disse a Arão: "Depressa, traz um incensário, acende-o com fogo do altar, põe nele incenso e leva-o rapidamente através do povo para fazer expiação por eles; porque já a cólera do Senhor está a actuar - a praga já começou a atingi-los!"
47-49 Arão fez como Moisés lhe dissera; correu por entre o povo, visto que se estava a espalhar a praga, e com o incenso posto no incensário fez expiação por eles. Colocou-se entre os mortos e os vivos, e a praga cessou; contudo ainda morreram 14.700 pessoas, além das que tinham perecido antes aquando da rebelião de Coré.
50 Então Arão regressou até junto de Moisés à entrada do tabernáculo. Foi pois assim que a praga terminou.
© 2016 ERF Medien